É isso, sei lá, mas acho que amo você. Amo de todas as maneiras possíveis. Sem pressa, como se só saber que você existe já me bastasse. Sem peito, como se só existisse você no mundo e eu pudesse morrer sem o seu ar. Sem idade, porque a mesma vontade que eu tenho de te comer no banheiro eu tenho de passear de mãos dadas com você empurrando nossos bisnetos. E por fim te amo até sem amor, como se isso tudo fosse tão grande, tão grande, tão absurdo, que quase não é. Eu te amo de um jeito tão impossível que é como se eu nem te amasse. E aí eu desencano desse amor, de tanto que eu encano. Ninguém acredita na gente: nenhum cartomante, nenhum pai-de-santo, nenhuma terapeuta, nenhum parente, nenhum amigo, nenhum e-mail, nenhuma mensagem de texto, nenhum rastro, nenhuma reza, nenhuma fofoca e, principalmente ou infelizmente: nem você. Mas eu te amo também do jeito mais óbvio de todos: eu te amo burra. Estúpida. Cega. E eu acredito na gente. Eu acredito que ainda vou voltar a pisar naqueles cocôs da sua rua, naquelas pocinhas da sua rua, naquelas florzinhas amarelas da sua rua, naquele cheiro de família bacana e limpinha da sua rua. Como eu queria dobrar aquela esquininha com você, de mãos dadas com os pêlos penteados de lado da sua mão. Outro dia me peguei pensando que entre dobrar aquela esquininha da sua rua e ganhar na mega-sena acumulada, eu preferia a esquininha. A esquininha que você dobrou quando saiu da casa dos seus pais, a esquininha que você dobrou chorando, porque é mesmo o cúmulo alguém não te amar. A esquininha que você dobrou a vida inteira, indo para a faculdade, para a casa dos seus amigos, para a praia. Eu amo a sua esquininha, eu amo a sua vida e eu amo tudo o que é seu. Amo você, mesmo sem você me amar. Amo seus rompantes em me devorar com os olhos e amo o nada que sempre vem depois disso. Amo seu nada, apenas porque o seu nada também é seu. Amo tanto, tanto, tanto, que te deixo em paz. Deixo você se virando sozinho, se dobrando sozinho. Virando e dobrando a sua esquininha. Afinal, por ela você também passou quando não me quis mais, quando não quis mais a minha mão pequena querendo ser embalsamada eternamente ao seu lado.
Tati Bernardi.  (via detalhou)

- Então Chorão, o que é o amor pra você?
- Em 1997 meu pai tinha uma carro azul..
- Mais o que isso tem a ver com o amor?
- Bom, acontece que ele todos os dias dava carona para uma moça. Ele saia do carro, abria a porta pra ela, quando ela entrava ele fechava a porta, dava a volta pelo carro e quando ele ia abrir a porta para entrar, ela apertava a tranca. Ela ficava fazendo caretas e os dois morriam de rir. Acho que isso é o amor.
Chorão em uma entrevista.    (via evidence-s)

Já me acostumei com a tua voz, com teu rosto e teu olhar. Me partiram em dois, e procuro agora o que é minha metade. Quando não estás aqui, sinto falta de mim mesmo. E sinto falta do meu corpo junto ao teu. Meu coração é tão tosco e tão pobre, não sabe ainda os caminhos do mundo. Quando não estás aqui, tenho medo de mim mesmo, e sinto falta do teu corpo junto ao meu. Vem depressa pra mim, que eu não sei esperar, já fizemos promessas demais. E já me acostumei com a tua voz, quando estou contigo estou em paz. Quando não estás aqui, meu espírito se perde, voa longe.
Legião Urbana.   (via verborragias)

Não desista, vá em frente. Sempre há uma chance de você tropeçar em algo maravilhoso. Nunca ouvi falar em ninguém que tivesse tropeçado em algo enquanto estava sentado.
Caio Fernando Abreu.   (via florestrelas)

Foda-se o cabelo, foda-se a roupa e foda-se os padrões da sociedade. Estamos vivendo em um mundo onde a aparência física vale mais do que a aparência interior. Um mundo onde crianças de 10 anos estão loucas para beijar, crianças de 13 já fazem sexo e adolescentes de 16 já estãográvidas. Corpo é tudo, inteligência é nada. Garota legal é garota puta; garoto legal é garoto pegador. Porra, vamos parar com isso! Casamentos acabam em 3 meses, “eu te amo” agora virou “bom dia”. A sociedade tende a afundar ao invés de melhorar.


Por favor, me deixa aqui quietinha, no meu canto.
Não trás tudo de volta, não traga aqueles nossos momentos novamente, já não bastam as musicas que me faz relembrar todos eles, as fotos, as cartas, mensagens. Não trás aquele cheiro que sabe que me ganha, não trás aquele sorriso que me derrete toda, não trás de volta os nossos assuntos, por que sabe quando deixamos a conversar fluir não tenho mais vontade de te deixar ir embora, não trás aquela nossa paz que tivemos um dia, porque sei que no final da noite ainda vou querer sentir o teu abraço, não volta pra mim não, por que você sabe que se você voltar, é capaz de eu cair inteiramente no seus braços.
Nada foi em vão, foi tudo por você.  (via florestrelas)

O importante não são quantas pessoas telefonam pra você, nem com quem você saiu ou está saindo. também não importa que você nunca namorou. O importante não é quem você beijou. Na vida, não é importante se você é aceito ou não pelos outros. O importante na vida é quem você ama e quem você fere. É como você se sente em relação a você mesmo. É confiança, felicidade e compaixão. é ficar do lado dos amigos e trocar o ódio por amor. O importante na vida é evitar a inveja, não querer o mal dos outros, superar a ignorância e construir a confiança. é o que você diz, e o significado de suas palavras. É gostar das pessoas pelo o que elas são e não pelo que tem. Isso é importante.
Caio Fernando Abreu (via florestrelas)